MOMENTO FERNANDO PESSOA


Uma maior solidão

Lentamente se aproxima

Do meu triste coração.


Enevoa-se-me o ser

Como um olhar a cegar,

A cegar, a escurecer.


Jazo-me sem nexo, ou fim...

Tanto nada quis de nada,

Que hoje nada o quer de mim.




Não sou nada.

Nunca serei nada.

Não posso querer ser nada.

À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.