Why is there no Nobel in mathematics

 

Por que não Prêmio Nobel da Matemática?

 

O prêmio Nobel foi criado por Alfred Nobel, um grande químico sueco, e tornou-se conhecido mundialmente. Entretanto, não há Prêmio Nobel da Matemática. Uma das versões existentes é que Nobel teria descartado esse prêmio por causa de uma mulher, que o teria trocado por Gosta Mittag-Leffler, um famoso matemático. Essa versão, entretanto, não tem fundamentos históricos.

            Um dos fatos que contradiz a versão mencionada é que Nobel nunca foi casado, embora tenha tido uma amante, a vienense Sophie Hess. Além disso, Gosta Mittag-Leffler estava longe de ser o candidato preferido para um Prêmio Nobel da Matemática – caso existisse um. Embora tenha sido um importante matemático no fim do século XIX e no começo do século XX – foi o fundador do jornal Acta Mathematica, ajudou na carreira de Sonya Kovalevskaya e foi diretor do instituto técnico Hogskola, em Stockholm –, havia outros matemáticos importantes que teriam mais chances de vencer, como Poincare e Hilcare. Além disso, parece que Mittag-Leffler e Nobel (que foi morar em Paris no fim de sua vida) não tiveram muito contato – muito menos alguma desavença.  Pelo contrário: Mittag-Leffler esteve envolvido em negociações “diplomáticas” para tentar convencer Nobel a doar parte de sua fortuna ao instituto Hogskola – o que ele não teria tentado caso houvesse acontecido algo entre os dois. Parece que Nobel esteve inclinado a ceder às propostas de Mittag-Leffler, mas teve então a idéia do Prêmio Nobel – o que deixou seus parentes, a senhorita Hess e o Instituto Hogskola um pouco decepcionados, obviamente. Petersson e Arrhenius,  rivais de Mittag-Leffler na administração do instituto, podem ter “espalhado” que isso teria acontecido devido a desavenças entre Nobel e Mittag-Leffler. O que, por sua vez, pode ter levado à famosa história da mulher...

Nobel estava interessado em beneficiar a humanidade, por isso talvez tenha deixado “causas menores” (como o instituto Hogskola) de lado. Ele simplesmente não criou um Prêmio Nobel da Matemática porque não estava interessado em ciências teóricas. Ele falava de prêmios para invenções e descobertas com benefício prático para a humanidade – uma das causas principais da criação da Fundação Nobel. Talvez por isso mesmo o Prêmio Nobel da Física tenha sido dado mais vezes para trabalhos experimentais do que para avanços teóricos.

Entretanto, a história sobre a misteriosa mulher tem o seu charme e é até mais interessante do que a versão original – e, por isso, provavelmente continuará a ser contada.

            É nossa opinião que deveria existir o prêmio Nobel da matemática, pois todo o avanço científico depende de seu desenvolvimento. Prova disso foi o Nobel recebido por John Nash Jr., o grande matemático americano ainda vivo e celebrado no filme “Uma mente brilhante” que ganhou o Nobel de Economia, fundamentalmente pelo desenvolvimento de trabalhos matemáticos aplicados à economia.