Adivinhando sem nenhum dado

 

 

Adivinhando sem nenhum dado

 

 

Diga que você dará o resultado final de algumas operações aritméticas, sem saber nenhum dos números que serão escolhidos pelo interlocutor.

 

Peça a uma pessoa que escreva um número de três algarismos, desde que o último não seja zero e que a diferença entre os extremos não seja menor que 2.

 

Exemplificando as condições de escolha:

 

430 não porque termina em zero

 

565 não porque os extremos são iguais (um extremo menos outro menor que 2)

 

564 também não porque: 5 - 4 = 1 (um extremo menos outro menor que 2)

 

374 também não porque: 4 - 3 = 1 (um extremo menos outro menor que 2)

 

Vamos lá.

 

Suponha que a pessoa escolheu 167

 

Aí, tudo bem. Pode. Mas você não sabe nada.

 

Peça para a pessoa inverter a ordem dos algarismos.

 

Dessa forma tem-se: 761

 

Em seguida peça para ela tirar o menor do maior

 

761 - 167 = 594

 

Depois peça para somar esse resultado com ele invertido e que você dará o resultado final (1089).

 

594 + 495 = 1089

 

Atendidas as condições iniciais, você acertará sempre, pois sempre dará 1089!

 

Vejamos outro exemplo:

 

Número escolhido: 765

 

Invertendo: 567

 

Tirando o menor do maior: 765 - 567 = 198

 

Somando esse resultado com ele invertido:

 

198 + 891 = 1089

 

Você ainda pode escrever num papel 6801 e dar como resultado (o algarismo um como um traço vertical).

 

Daí, a pessoa supor que você errou.

 

Mas, você dirá que está “de ponta cabeça”. E a pessoa verá em seguida o 1089!

 

Tente demonstrar porque sempre dá 1089.